15.5.12

Notícias apressadas - No Osso: Crônicas Selecionadas

Meu novo livro, No Osso: Crônicas Selecionadas (Cais Pharoux), já está em circulação. O primeiro lançamento ocorreu em Passos, durante a I FLIPassos (I Feira Literária de Passos), evento sobre o qual falarei em breve.
Por enquanto, gostaria de deixar a reprodução de matéria saída no Estado de Minas (11/05) e o link do programa de rádio, Universo Literário, na Rádio da UFMG. O link é este.

Como está difícil ler a reprodução em anexo, o texto segue abaixo em sua íntegra.


Força do cotidiano
Eduardo Tristão Girão (Estado de Minas, 11/05/2012 – Caderno de Cultura, pg. 4)

Alexandre Brandão “produz e convive com números”, como ele mesmo diz. Mineiro de Passos radicado no Rio de Janeiro, o economista do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística também sabe lidar com as palavras, como atesta No Osso (Cais Pharoux), livro de crônicas que lança hoje na 1ª Flipassos, Feira Literária de Passos, que é realizada na cidade do Sul do estado até segunda-feira. No dia 24, ele participará da Bienal do Livro de Minas, em Belo Horizonte, como escritor independente.
São quase 50 crônicas escritas de 2000 para cá e publicadas na Gazeta de Passos, Folha Carioca e CNP Notícias. “Efetivamente, criei um critério. A linha geral dele era alternar justamente o poético e o rigoroso. De certa forma, o livro tem esse equilíbrio, mas, ao selecionar crônicas, penso que é preciso escolher aquelas que, mesmo baseadas em fatos da atualidade, possam sobreviver a eles. Isso me remeteu ao espaço da memória, talvez a peça-chave de minhas crônicas”, explica o autor.
Alexandre usou frequentemente o cotidiano como inspiração para seus escritos. Para evitar a completa banalidade ao optar por esse caminho, explica ele, alguns cuidados precisam ser tomados: “Mesmo sendo objetivo e muito claro no que se vai dizer ao leitor, também é preciso dizer a ele com um pouco de beleza, com ironia ou graça, se possível. Além disso, tento fazer dos fatos do cotidiano algo que será perene”. O mineiro também é autor de Contos de homem (Aldebarã, 1995), Estão todos aqui (Bom texto, 2005) e A câmera e a pena (Cais Pharoux, 2009).

Modulações As vivências em Passos, Rio de Janeiro e nas outras duas cidades onde morou — Belo Horizonte e São Paulo — também ajudam o escritor a criar suas crônicas. “Como a memória dita o livro, o menino que fui em Passos vocifera por quase todo ele. Ao lado do menino, o homem que sou hoje, do jeito que posso ser hoje, esse morador carioca, modula o menino e olha para o mundo que vai correndo aos nossos olhos, mundo danado de confuso, cruel, mas também belo”, conclui.


Postar um comentário